Wednesday, March 16, 2022

A sedução tecnológica

 

Milton Lima
Sociólogo
03-16-2022

Em busca da dignidade humana, o ser e a máquina, já estão lado a lado com a sedução. O tempo continua sendo sua extensão vazia de expressão, num destino de náusea artificial. Contudo, o que realmente importa é o objeto das coisas. Já tem algum tempo que eles a chamam de revolução. De início ela vinha como palavra cruzada e caçada pela própria extinção, mas hoje é elevada para 4ª dimensão – enquanto isso revolução industrial.

O tema é quente e a floresta vigiada por satélite também vê a sedução. Entre o aquecimento e a mudança, a tecnologia tem sua sedução pautada no futuro de uma agenda que era 21, mas agora passou a revelar um apocalipse vindo da escolha, de tragédia ou esperança, assim legada a outra agenda para o ano de 2030.  

Parece tudo tão bonito. E a dignidade humana será proposta por uma renda mínima global? Será pautada pela frase do WEF ‘não terá nada e assim será feliz em 2030’, é isso mesmo? Que sedução, não?

A sedução tecnológica é tampouco sua sobrevivência humana, é tampouco sua importância na terra. A sedução tecnológica, embora não trate o sintoma da caça à palavra, que retrata a tragédia ou a esperança, sobre elas, humanidade ou morte? Parece que a resposta já foi dada. Nano daqui, Spike dali, novo normal acolá e de cá? Por o que ainda se luta? Diria o sábio que o fim do jogo nada mais é que o reconhecimento da falha minimalista do apocalipse desta loucura sã da sedução tecnológica. Será a face da dignidade agora uma vergonha?

APOIE ESSE TRABALHO> COM QUALQUER VALOR DONATE

Martin Luther King Jr

visitas Total

Free counters!

Total Pageviews